• Vicky

Momento cultura irlandesa: o Bloomsday

Atualizado: Jan 21

Ulysses pode ser considerada uma das obras definitivas da literatura do século XX, mas nem de longe é uma obra de fácil digestão, é mais uma daquelas pérolas, que muitos comentam, mas pouco leram – e entenderam – o livro escrito por James Joyce.



James Joyce nasceu na cidade de Terenure (hoje extinta a cidade o local agora faz parte do território da capital Dublin), Irlanda em 02 de fevereiro de 1882, e é sem medo de errar um dos autores mais importantes da sua época, apesar de ter passado a maior parte da sua vida adulta fora da sua terra natal, a sua identidade irlandesas foi definitiva para a sua escrita, seus personagens e seus cenários. O começo da sua educação foi feito em colégios particulares e renomados internatos da região de Wicklow, Kildare, porém devido a problemas financeiros de seu pai, Joyce teve que estudar por um período curto com sua mãe e também em escolas beneficentes até que seu pai conseguisse uma bolsa de estudos integral no Belvedere College, um conceituado internato jesuíta. Em 1891 ele escreveu seu primeiro poema que se tem registro Et Tu Healy, sobre a morte do líder nacionalista irlandês Charles Stewart Parnell (1846-1891). Seu pai o fez imprimir o poema e até mandou uma cópia para a integrar a santa biblioteca do Vaticano, dedicada ao Papa Leão XIII e a São Patrício, padroeiro da Irlanda. le se matriculou no University College Dublin em 1898. Estudou línguas modernas, especificamente inglês, francês e italiano, além de se envolver com os movimentos teatrais e literários dos estudantes do local.


Em 1902, Joyce foi a Paris pela primeira vez em 1902 para estudar medicina, mas no ano seguinte volta à Irlanda, pois sua mãe estava morrendo de câncer. Se mantem na cidade trabalhando como jornalista e professor particular. Em 1904 escreve a sua primeira obra: Um Retrato do Artista, ainda em 194 conhece Nora Barnacle que trabalhava como camareira e viria a ser sua companheira por toda a vida (esse encontro tem tudo haver com o motivo pelo qual o texto está sendo escrito hoje, mas antes vamos continuar a traçar um pouco do perfil de Joyce). Joyce ainda permanece em Dublin por um tempo, vai morar com o estudante de medicina Oliver St. John Gogarty, que serviu de base para a personagem Buck Mulligan em Ulysses. Depois de dormir por seis noites na Torre Martello, de Gogarty, ele sai após ambos discutirem, embebeda-se em um bordel e envolve-se numa briga, da qual é resgatado por Alfred Hunter, um conhecido de seu pai; Hunter, um judeu irlandês, fornece o modelo para Leopold Bloom, o herói de Ulysses. Pouco depois ele foge com Nora, indo primeiramente para Pula (hoje na Croácia) e depois Trieste (Itália), ambas então no Império Austro-Húngaro, para ensinar inglês na escola Berlitz.


Em visitas a Dublin, abre o primeiro cinema da cidade, o Volta, em 1909, mas fracassa; depois, em 1912, desentende-se com um editor sobre sua nova obra, e publica contra ele, no mesmo ano, Gás de um Bico (Gas from a Burner). A obra que Joyce queria fazer sair em sua cidade natal era Dublinenses, uma série de quinze contos sobre a cidade e a vida de seus habitantes.


Em 1915 se muda para Zurique na Suíca, com Nora, onde fica até 1920, quando retorna à Paris pós fim da Primeira Gurra Mudial, onde, exceto por duas visitas à Irlanda, permaneceu pelos vinte anos seguintes. É morando na Cidade-Luz que Joyce sofre diversas operações nos olhos a partir de 1924, conclui suas duas maiores obras, obtendo amplo reconhecimento pelo Ulysses e reações diversas pelo Finnegans Wake.

James e Nora.

É também durante este período, em 1931, que James e Nora se casam, em Londres. Com a chegada da Segunda Guerra Mundial, Joyce deixa a Cidade-luz e volta a Zurique, quase cego, em 1940. No começo do ano seguinte, morre de úlcera duodenal perfurada e peritonite generalizada, durante uma operação para salvar sua vida. Ele está enterrado na cidade juntamente com a sua Nora.


Mas falemos da celebração de hoje, do 16 de junho, o Bloomsday. Data em que todos os lugares do mundo o talento de Joyce e a jornada de seu Leopoldo Bloom são celebradas e relembradas.


Em 1906, enquanto terminava Dublinenses, Joyce considerou adicionar outro conto, sobre um negociante de anúncios judeu chamado Leopold Bloom sob o título Ulysses. A história não foi escrita, mas a ideia permaneceu e, em 1914, Joyce começou a trabalhar num romance usando tanto este título quanto a premissa básica, tendo-o completo em outubro de 1921. O livro se passa todos, sim todas as suas 900 páginas em um único dia: 16 de junho de 1904, e sabe qual o motivo da escolha desta data por Joyce? Porque foi nesse dia em que fez sexo pela primeira vez com Nora, à época uma jovem virgem de vinte anos, apesar de a imprensa irlandesa publicar que nesse dia eles "caminharam juntos" pela primeira vez. Na verdade, Nora teve medo de completar o coito e o masturbou "com os olhos de uma santa", como Joyce relatou em uma carta em que relembrou o acontecido. O Ulysses de Joyce é uma sátira ao clássico A Odisséia, do poeta grego Homero, que retrata viagem aventurosa de Odisseu pelo mundo helênico no regresso da Guerra de Troia à ilha de que era rei, Ítaca, e onde havia ficado a sua esposa, a rainha Penélope. Joyce coloca o seu herói, o agente de publicidade Leopold Bloom no dia 16 de junho de 1904 e início da madrugada do dia seguinte, confinado no espaço de Dublin.

Primeira edição de Ulysses.

O "herói", Leopold Bloom, um judeu irlandês, é na visão de Joyce um Ulysses moderno ou Um Qualquer, fraco e forte, cauteloso e precipitado, herói e covarde, englobando os múltiplos aspectos de cada ser humano e de toda a humanidade. Joyce dividiu Ulysses em 18 episódios, cada episódio tem um tema, uma técnica e uma correspondência entre os seus personagens e os da Odisseia. o protagonista, repete o mesmo trajeto do herói Ulysses: encontra sereias, ciclopes, feiticeiras, enfrenta a ira dos deuses e consegue retornar ileso para casa. Mas Ulysses é um romance realista. As figuras mitológicas estão disfarçadas de pessoas comuns. As batalhas épicas se resumem a episódios do dia-a-dia.



Desde 2012 o trabalho de James Joyce caiu em domínio público, ou seja, a família do autor não tem mais controle sobre os direitos autorais das obras – os direitos são respeitados até 70 anos após a morte do autor.



Estátua de James Joyce em Dublin.

Há alguma controvérsia sobre o ano em que o Bloomsday começou a ser comemorado. Alguns especialistas indicam 1925 (três anos após o lançamento do livro); outros afirmam que foi na década de 1940, logo após a morte de Joyce, enquanto a hipótese mais aceita indica que foi em 1954, na data do quinquagésimo aniversário do dia retratado em Ulysses, mas ele é celebrado em diversos lugares do mundo – inclusive no Brasil - , de várias maneiras: com bailes, festas a fantasias, saraus, leituras e discussões diversas.





A História é um pesadelo do qual tentamos acordar., James Joyce
0 visualização